sábado, 23 de maio de 2015

Reforma política....

Reforma Política libera troca-troca de partidos Além de impedir que partidos nanicos tenham acesso aos R$ 868 milhões do fundo partidário, o projeto da reforma política libera políticos eleitos a mudar de partido sem risco de perder o mandato, mas só pelos dois meses após a promulgação da lei. Hoje e após a janela de sessenta dias, político que se desligar do partido pelo qual foi eleito perde o mandato, salvo em casos como a criação de nova legenda. A mudança na partilha do fundo partidário deve levar deputados de 16 pequenos partidos a usar a brecha para trocar de legenda. Partidos em vias de criação como o Rede, de Marina Silva, e o PL de Gilberto Kassab (Cidades) vão nascer sem dinheiro e sem deputados.

Essa é minha opinião

Um político sábado corrupto que só pensa no seu bolso não deve ser tratado de Vossa Excelência Um professor dedicado, que ensina com amor e respira a educação 24 horas por dia, deveria sim, sem formalidade alguma, ser chamado de Vossa Excelência. A classe política do município está desgastada e sem credibilidade  as últimas ações do legislativo municipal não  agradou muito a nossa população , um político safado, não merecia ser tratado nem de Vossa Senhoria. Tenho dito...

sexta-feira, 22 de maio de 2015

O novo do velho...

COMEÇAM AS TRANSFORMAÇÕES. Diante do pessimismo que toma conta de muitos, continuo sendo um otimista, embora as vezes uma espécie de neura queira me tragar esse senso que reputo extremamente positivo para fazer face às decepções. Mas, se as vitórias pífias no mais das vezes até nos decepcionam, imaginem as derrotas. Contudo, a estratégia para derrotar o pessimismo é a reflexão que faço do que fomos e do que somos. A partir disto, muitas vantagens se verificaram, embora as muitas desvantagens tenham marcado presença. Mesmo nos tempos em que nasci, nos anos cinquenta, posso asseverar que as vantagens já superavam as desvantagens. Fazendo um paralelo, por exemplo, vislumbro como desvantagem uma economia agrária improdutiva, mas como vantagem uma natureza exuberante, com rios e lagos oxigenados, sem poluição, cheios de peixe e uma Amazônia cheia de vida animal e vegetal, cartão postal do mundo. Como vantagem, o início da transformação do nosso modo social de produção, com o advento das chamadas indústrias de base e o despontar do capital financeiro, hoje com uma estrutura operacional das mais modernos do mundo. Como desvantagem uma acumulação desenfreada, a injustiça social e o êxodo rural. Ainda, como vantagem nosso processo político redemocratizado, mas como desvantagem o nosso sistema político frágil e vulnerável ensejou uma nova ditadura, desta feita militar. E por aí vai! O fato é que hoje vivemos uma das maiores economias do mundo. Estamos com a faca e o queijo para nos transformarmos num dos países mais interessantes do planeta. As bases estão lançadas. Precisamos apenas vencer algumas barreiras que são óbices naturais nesse processo do desenvolvimento, como os que impedem a educação, a saúde, a segurança e a infraestrutura de se afirmarem em níveis compatíveis. Precisamos destravar as amarras do nosso processo produtivo, sobretudo no plano da produtividade. Precisamos de eficiência no desempenho de nossa economia, sem nos descurarmos que no plano da questão agrária despertamos maravilhosamente com um crescimento vertiginoso. Louvável o advento da nossa democracia, aliando os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e as nossas relações civis, deslocando o eixo dos princípios básicos que comandam o nosso Direito Civil para o âmbito constitucional, significando dizer que a pessoa humana assumiu a centralidade dos valores democráticos.

O novo do velho...

COMEÇAM AS TRANSFORMAÇÕES. Diante do pessimismo que toma conta de muitos, continuo sendo um otimista, embora as vezes uma espécie de neura queira me tragar esse senso que reputo extremamente positivo para fazer face às decepções. Mas, se as vitórias pífias no mais das vezes até nos decepcionam, imaginem as derrotas. Contudo, a estratégia para derrotar o pessimismo é a reflexão que faço do que fomos e do que somos. A partir disto, muitas vantagens se verificaram, embora as muitas desvantagens tenham marcado presença. Mesmo nos tempos em que nasci, nos anos cinquenta, posso asseverar que as vantagens já superavam as desvantagens. Fazendo um paralelo, por exemplo, vislumbro como desvantagem uma economia agrária improdutiva, mas como vantagem uma natureza exuberante, com rios e lagos oxigenados, sem poluição, cheios de peixe e uma Amazônia cheia de vida animal e vegetal, cartão postal do mundo. Como vantagem, o início da transformação do nosso modo social de produção, com o advento das chamadas indústrias de base e o despontar do capital financeiro, hoje com uma estrutura operacional das mais modernos do mundo. Como desvantagem uma acumulação desenfreada, a injustiça social e o êxodo rural. Ainda, como vantagem nosso processo político redemocratizado, mas como desvantagem o nosso sistema político frágil e vulnerável ensejou uma nova ditadura, desta feita militar. E por aí vai! O fato é que hoje vivemos uma das maiores economias do mundo. Estamos com a faca e o queijo para nos transformarmos num dos países mais interessantes do planeta. As bases estão lançadas. Precisamos apenas vencer algumas barreiras que são óbices naturais nesse processo do desenvolvimento, como os que impedem a educação, a saúde, a segurança e a infraestrutura de se afirmarem em níveis compatíveis. Precisamos destravar as amarras do nosso processo produtivo, sobretudo no plano da produtividade. Precisamos de eficiência no desempenho de nossa economia, sem nos descurarmos que no plano da questão agrária despertamos maravilhosamente com um crescimento vertiginoso. Louvável o advento da nossa democracia, aliando os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa e as nossas relações civis, deslocando o eixo dos princípios básicos que comandam o nosso Direito Civil para o âmbito constitucional, significando dizer que a pessoa humana assumiu a centralidade dos valores democráticos.

Cortando tudo.

Governo anuncia corte de R$ 69 bilhões no Orçamento!  Em um momento de queda da receita e de risco de ter seu pacote de ajuste desfigurado no Congresso, o governo Dilma anuncia nesta sexta (22) um corte no Orçamento de cerca de R$ 69 bilhões, o maior da era petista, para tentar vencer o ceticismo do mercado de que irá cumprir sua meta fiscal em 2015. Ao definir o tamanho do bloqueio, o governo estimou que o país terá uma retração de 1,2% do PIB neste ano, pior do que a previsão anterior (0,9%). A inflação oficial será de 8,26%, bem acima do centro da meta (4,5%). O corte vai atingir R$ 49 bilhões de despesas propostas pelo governo e R$ 20 bilhões de emendas parlamentares, recursos destinados por deputados e senadores para suas bases eleitorais.

TSE a vida política de Rosalba e Cláudia Regina está em votação...

Processos contra Rosalba e Cláudia Regina já estão prontos para julgamento no TSE  Os dois processos envolvendo a inelegibilidade da ex-governadora Rosalba Ciarlini estão prontos para julgamento no Tribunal Superior Eleitoral. O último trâmite foi encerrado com o retorno da carga do Ministério Público Eleitoral. Em ambos os processos figura também como ré a ex-prefeita de Mossoró Cláudia Regina e a relatora é a ministra Maria Thereza. O Recurso Especial Eleitoral com o número 54754 foi recebido no gabinete da ministra desde a última quinta-feira. Já o Recurso Especial Eleitoral número 31.460 chegou desde o dia 4 de maio no gabinete da ministra. Em ambos os processos Rosalba Ciarlini responde por “conduta vedada a agente público” e é pela punição imposta pelo Tribunal Regional Eleitoral nesses dois casos que hoje a ex-governadora, que sonha em ser candidata a prefeita de Mossoró, está inelegível.

quinta-feira, 21 de maio de 2015

Vereadora diz não acredita na atual gestão mas esquece que foi a capital potiguar pedir emprego para seu esposo..

Vergonha: Para vereadora do (PSD) de Barauna , “Nepotismo” e isso mesmo meu povo muitos vão  ficar com raiva desta postagem mas é verdade foi exatamente  isso que informará a este blog é imoral isso, ela deveria pensa na cidade e não  no próprio bolso.
A vereadora , do município de Barauna , Divanise Alves(PSD) se deslocou a capital potiguar Natal meses atrás, foi reivindicar emprego para parentes no governo de Robson  Farias, não é imoral isso meu povo . Segundo informações  vinda lá da capital, a vereadora foi sim lá, mas isso meus caros leitores ela não está infringindo lei nenhuma, que é uma vergonha, só acho que a propria deveria cobrar benefícios  para nosso município e não usa os votos do município  que foi de várias lideranças para empurra goela a baixo essa reivindicação. Já na seção  desta quinta feira  aproveitou para desferir “ataques” contra a GESTÃO do município de Barauna afinal antes não  faziam este tipo de oposição pois todos faziam parte do governo anterior, mas hoje fazem com sangue nos olhos . Voltando o caso de emprego de parentes, vem sendo bastante comentado nos últimos meses, gerando repercussão em todo o município pega mal isso para quem quer ser reeleita. Esses vereadores  estão nesse período com a imagem desgastadas, queimados mesmo a reprovação dos vereadores e impopularidade dos nobres edis vêm aumentando constantemente com as burradas , nesse jogo e cada um pensando no seu próprio umbigo. Para a maior parte da sociedade eles só pensam no bem star de si, só acho que pedir emprego  para parentes e qualquer ação deste tipo, é uma vergonha nacional passível de indignação popular , pois, além de considerada um desrespeito à população Baraunesse , passa a impressão que o seu referido mandato não é feito para o povo em geral, mas, apenas, para um reduto familiar que é verdade neste contexto, um dia em discussão  nas redes  sociais  ouvi de um familiar da vereadora que estávamos errados, quando falava que vereador foi eleito para defender o povo, ela disse que não, que vereador não era voz do povo na câmara, então é o que, ela nos deu a resposta esperamos que o povo tome consciência  nas próximas eleições municipais e eleja quem de fato  lhe representa tenho dito.

Projeto Cargo e Salários dos Magistrados...

A Câmara Municipal de Barauna aprovou nesta quinta-feira, o projeto que institui o Plano de Cargos, Carreiras letras e vencimentos dos professores da rede municipal. Os vereadores aprovaram o projeto, após acordo com a prefeitura municipal, a executivo mandou o projeto que  tramitou na casa nesta quinta então  após a vereadora  Divanise ter colocado uma emenda  para que nos anos de 2016, 2017, 2018, sejam  aplicados  mais 2,2 % a cada ano acima do valor reajustado pelo governo federal, ainda serem colocados nos orçamentos vindouros no município . Os professores compareceram ao plenário da casa legislativa e pressionaram os vereadores encarregados de votar o projeto, dentre outros pontos, aprovou a reserva de jornada. Com a aprovação do projeto os professores vai terminar este ano letivo com mais essa batalha vencida . Eles haviam paralisado as atividades por um período mas foi retomada após acordo com a prefeitura , para acompanhar a tramitação do projeto na Câmara. A categoria também conseguiu mudanças de letras profissional, dentre outros pontos parabéns  professores  por mais essa luta.

Repasse ao estado....

FRUSTAÇÃO COM REPASSE AO ESTADO EM 2015 JÁ SOMA R$ 92 MILHÕES. A frustração de receita do Fundo de Participação dos Estados para o Rio Grande do Norte foi de R$ 92,2 milhões nos quatro primeiros meses de 2015. O valor representa a projeção feita no Orçamento Geral do Estado para o período e não chegou de fato aos cofres públicos. O secretário estadual de Planejamento, Gustavo Nogueira, afirmou através da Assessoria de Imprensa que “apesar do Governo Federal ter alterado a política de redução de impostos em 2015, o FPE deste ano já sofreu uma frustração de R$ 92.201.535,57, no período de 1º de janeiro a 20 de maio, se comparado ao orçado no mesmo período de 2014”. O auxiliar de primeiro escalão observou que esse fato ocorreu, em grande parte, devido ao desaquecimento da economia. A frustração de receita já se tornou um fato comum para os governos estaduais. Em 2014 a estimativa dos auxiliares da então governadora Rosalba Ciarlini foi de uma frustração chegando a quase R$ 2 bilhões.

Água e azeite..

Um recado para  Robinson: ganhem o respeito do povo!  O desenvolvimento de um Estado não pode depender da amizade ou inimizade política entre situação e oposição. Tampouco de conchavos políticos ou de ajustes escusos. No Rio Grande do Norte estamos vivendo uma indiferença entre os dois lados. Um não quer aproximação com o outro e o outro não quer aproximação com o um. Isso é muito ruim para o povo. A falta de respeito e convivência política não pode ofuscar o retrato da administração pública. Seja ela em todos os níveis. Oposição e situação devem sentar à mesa. E debater os melhores projetos que o Rio Grande do Norte precisa. Assim terminarão ganhando o respeito do eleitor.