BLOG KAIO SERGIO BARAÚNA

BLOG  KAIO SERGIO BARAÚNA
BLOG DO KAKA

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Reforma politica no Brasil..

O que muda se a reforma política ocorrer por referendo ou plebiscito?  Para que a presidente reeleita, Dilma Rousseff, tenha êxito em sua principal proposta para seu segundo mandato, a aprovação de uma reforma política, ela terá de se entender com o Congresso quanto à melhor forma de consultar a sociedade no processo. A proposta original de Dilma é pela convocação de um plebiscito para tratar do tema. Já os dirigentes da Câmara e do Senado preferem que os eleitores participem da reforma por meio de um referendo. A posição do Congresso nesse tema é crucial, já que cabe ao órgão decidir qual modelo será adotado. Os pontos de vista distintos já provocam atritos entre as autoridades. Na terça-feira, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que "o Congresso pagará caro pela omissão" se autorizar a convocação de um plebiscito, delegando aos eleitores o poder de definir os rumos da reforma. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), reforçou a posição de Renan e culpou o PT pela não aprovação de uma proposta de reforma no ano passado. Também na terça, Dilma flexibilizou sua posição ao dizer em entrevista que "não interessa muito se é referendo ou plebiscito". Qual a diferença entre referendo e plebiscito? A principal distinção é que um plebiscito é convocado antes da elaboração de um ato legislativo ou administrativo que trate do assunto em questão. Já um referendo é convocado posteriormente, para que a população aprove ou rejeite a proposta já elaborada. De que maneira essas diferenças influenciariam na reforma política? Pela proposta de Dilma, um plebiscito sobre a reforma política permitiria aos brasileiros posicionar-se sobre vários temas. Eles poderiam, por exemplo, decidir se o financiamento das campanhas deve ser público, privado ou misto; se o voto deve ser nos partidos, em listas fechadas, ou em candidatos; se deve ser criada uma cláusula de barreira para impedir que partidos pequenos assumem lugares na Câmara; e se a reeleição deve ser proibida. Caberia ao Congresso decidir quais perguntas serão feitas e elaborar uma proposta que respeitasse os resultados da consulta. Esse modelo daria aos eleitores maior poder na elaboração da proposta. No caso de um referendo, o Congresso elaboraria uma proposta de reforma, e os eleitores teriam apenas o poder de chancelar ou vetar o projeto como um todo, sem poder modificá-lo. Esse modelo daria ao Congresso mais poder na elaboração da proposta.
Gestores têm até 11 de novembro para retificar dados preliminares do Censo Escolar Termina no dia 11 de novembro o prazo para que os gestores municipais retifiquem os dados preliminares do Censo Escolar 2014. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) recomenda que não se perca esta data, estipulada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). A CNM orienta que gestores conscientizem os diretores da rede de ensino da importância de confirmar os dados, cuidadosamente. Para a conferência e as alterações necessárias, a ferramenta utilizada é o Sistema Educacenso do Inep. O Censo Escolar serve de base para o cálculo de distribuição do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Além de programas federais, como o da Merenda e Transporte.
Henrique Alves quer concluir votação da PEC do Orçamento Impositivo na próxima semana‏  O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves, anunciou nesta quinta-feira (30), que o Plenário deverá concluir a votação da PEC do Orçamento Impositivo (358/13) na próxima semana. A proposta obriga o governo federal a pagar as emendas apresentadas por deputados e senadores ao Orçamento da União. Ele já comunicou a sua intenção de votar a matéria ao ministro-chefe da Casa Civil, Aluzio Mercadante, com quem esteve reunido nesta quinta-feira. “Eu o informei que quero deixar a Casa com essa matéria votada”. Pelo texto da PEC, o governo terá de pagar até 1,2% da receita corrente líquida realizada no ano anterior em emendas, desde que metade desse dinheiro seja voltado para a saúde. O texto base da PEC foi aprovado em 1º turno em maio deste ano, mas falta a votação de dois destaques. Um deles, apresentado pelo DEM e apoiado pela bancada da saúde, quer retirar da PEC os limites mínimos de recursos da União a serem investidos em saúde. Esses parlamentares preferem a definição dos limites por uma lei, como é hoje, por ser uma norma mais fácil de ser alterada. Henrique Alves afirmou que vai negociar um acordo para permitir a aprovação do texto sem alterações, pois as mudanças fariam a matéria voltar para o Senado, inviabilizando a aprovação da PEC neste ano. “Eu vou conversar com a oposição para chegar a um entendimento; até porque eu ajudei a construir o texto aprovado pelo Senado”. Pauta Na conversa com o ministro Aluizio Mercadante, Henrique Alves disse que o governo manifestou a preocupação com a aprovação de propostas que provoquem grande impacto fiscal. Ele afirmou que o encontro com o ministro foi de caráter institucional e houve apenas um pedido para que a Câmara informasse as matérias que será incluídas na pauta. O presidente da Câmara informou que, assim que as prioridades de votação forem definidas pelos líderes, ele informará à Casa Civil sobre as propostas que podem ser votadas pelos deputados nas próximas semanas. Ele voltou a descartar a possibilidade de inclusão na pauta de matérias com impacto fiscal que possam prejudicar o equilíbrio financeiro da União. Ele adiantou, no entanto, que há a intenção da maioria dos parlamentares de votar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 426/14, do Senado, que aumenta em um ponto percentual o repasse de recursos da União para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). “Essa proposta é importante, pois a situação dos municípios hoje é insustentável. As prefeituras estão com problemas orçamentários e sem autonomia para investir”. Ele confirmou que vai conversar com a presidente Dilma Rousseff na próxima semana. “Nesta hora, é preciso respeito, tratamento equilibrado, muito sereno, pois o que está em jogo é o Brasil dos nossos filhos, dos nossos netos. É uma hora de muita responsabilidade do Parlamento e também do Poder Executivo. Diálogo é a palavra mágica”. Reforma Política Sobre a reforma política, o presidente da Câmara assinalou que já há um consenso que deve haver participação popular. “Não se pensa em fazer uma reforma política que não tenha a participação popular. O povo deverá ter a última palavra. Então, eu espero que, na quarta-feira (5), a CCJ possa aprovar a admissibilidade da PEC da Reforma Política (352/13), para que possamos criar a comissão especial e trazer para o debate a OAB, a CNBB, os movimentos sociais todos para discutirem claramente uma proposta de reforma política para que possa ao final ser levada ao referendo popular”. Ele explicou que o referendo é a forma mais prática, pois o Congresso aprova uma proposta clara de reforma política e, depois, a submete a consulta popular. “Isso nos faz ganhar tempo e dá uma resposta para uma tarefa que essa Casa tem que fazer. Já deveria ter feito e não fez. É uma mea culpa de todos nós. A próxima legislatura terá que fazer, e o que eu puder contribuir nessa final, eu farei”.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Prefeita reajustado a equipe...

A Prefeita de Baraúna,Luciana Oliveira, fará mudanças em sua equipe administrativa para melhorar as atividades administrativas.

A Prefeita de Baraúna, Luciana Oliveira, a partir da próxima semana, fará uma ampla reforma em sua equipe administrativa objetivando implantar um novo ritmo de trabalho à sua gestão para o biênio 2015-2016. Ela já vem fazendo isso desde meses que se passaram quando trouxe o secretario de educação Marcos Antônio creio que ira anuncia os novo companheiros  dessa reforma em breve, no momento em que a Prefeita Luciana contar de verdade com os novos parceiros políticos para viabilizar os futuros projetos administrativos do município. De acordo com Luciana, o ajuste é fundamental para que a equipe trabalhe em sintonia com o conceito com uma boa equipe seguinificar  "Mais trabalho, mais compromisso" com o povo eu quero uma  administração para o povo onde eles a população fiquem satisfeitos com o nosso trabalho. "Estamos com os parceiros certos que vão ajudar Baraúna a conseguir recursos estaduais e federais. Então, precisamos ajustar a equipe para obter mais empenho e eficiência na prestação dos serviços públicos que são ofertados à população", disse a gestora. Segundo as informações repassadas, a reforma administrativa, que contemplará diversas áreas da administração, já esta acontecendo em breve tudo vai se encaixar com isso vamos torce para que tudo de certo .

Telefonema da presidente Dilma a Henrique Alves...

A própria presidente Dilma telefonou para Henrique  A própria presidente Dilma Rousseff (PT) telefonou nesta quarta-feira para o atual presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), principal articulador da derrota do governo.Derrotado na disputa pelo governo do Rio Grande do Norte nas eleições deste ano, o peemedebista atribui a derrota ao empenho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em favor do adversário. Henrique disse que a conversa foi cordial, negou que tenha sido sondado para um ministério, mas afirmou que ambos conversarão de novo na próxima semana e que, nessa ocasião, recomendará a ela que ouça mais o Legislativo.O aceno da presidente foi uma tentativa de conter a ameaça de aprovação de projetos que representam aumento de despesa para o governo. Uma dezena de projetos desse tipo poderão ir a votação na Câmara e no Senado nas próximas semanas.

PMDB E QUEM DA AS CARTAS.....

PMDB TEM COMO PRIORIDADE BUSCA UMA CADEIRA PARA HENRIQUE ALVES. A coluna também Poder Online, do IG, também destaca que o PMDB da Câmara já definiu como uma das prioridades na negociação com o Planalto garantir um lugar ao sol para o atual presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (RN). Derrotado na eleição no Rio Grande do Norte, ele figura na lista de peemedebistas que o governo já sabe que terá de afagar Henrique Alves e figura importante na politica do Brasil, para evitar o troca em votações estratégicas no Congresso. Uma das propostas que circulam no partido é acomodar Alves no Ministério da Previdência. O atual titular da vaga, Garibaldi Alves, segundo peemedebistas, poderia se transformar em alternativa para a eleição para a presidência do Senado.

Matéria reproduzida do Blog de Ruberlandio de Queiroz

 Hostilidade Não faço politica pra agradar A ou B, faço politicas por convicção, se acredito defendo, se não, tenha santa paciência. Ontem em uma determinada reunião fui hostilizado por um senhor, que não citarei o nome por uma questão ética, este senhor quer fazer pressão em mim e tomar decisões por mim, nobre senhor eu sei muito bem o que estou fazendo, no dia que precisar terei a humildade de pergunta-lo, mas se não perguntei, é por que nunca precisei, por tanto limite-se a suas questões e deixe as minhas que resolvo, isto vale também para os outros admiráveis senhores que fazem pressão em tom de gracejo e brincadeira. Isto só enfraquece o grupo que esta tentando se montar, com divisões e defecções internas, com agressões gratuitas e radicalismo não vai muito longe. Eu decide fazer a campanha para governo votando em Robinson, contra tudo e contra todos, deixei o espaço do grupo que eu faço parte para fazer campanha para Robinson, para agora ser hostilizado e pressionado, ora vejam só … PRESSÃO NÃO FUNCIONA COMIGO, este é o reconhecimento que é dado quatro dias apos as eleições, muito obrigado!

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Achei que seriam de todos esse mérito agora o presidente esta querendo levar vantagem sozinho.

No domingo passado ocorreu a votação das eleições 2 turno  de 2014,  à noite saiu o resultado dos vitoriosos ao governo do estado e presidente,com isso o presidente da câmara de Baraúna aquele que traiu tudo e todos em sua trajetória politica, está se achando o rei da cocada preta , primeiro o irmão traíra informou para alguma pessoas do 15 como se ele fosse a mãe ou pai dinar que na próxima semana a prefeita Luciana sairia da PMB, ela vai sai de onde mesmo? E agora pela manhã me passa um carro de som  enchendo o saco com a sua  voz irritante, “ dizer que em nome da coordenação vem agradecer os votos do novo governador, ai eu pergunto que coordenação ”? Cadê os nomes das pessoas vereador, pois o povo vai achar que foi só  você e que e o líder quando na verdade não foi e nem e que por trás dessa vitoria tem grandes lideranças, para informar-lhes sobre essa campanha que se passou nobre vereador você não leva esse mérito sozinho não . A iniciativa da campanha de Robson em Barauna lembro me bem começou pela vereadora Divanise que e do partido do governador eleito( PSD) ela até me fez o convite para votar em Robson, mas falei meus motivos de não vota, ela respeitou minhas opiniões, a vereadora Divanise sim foi a primeira a levantar essa bandeira, que  contou com o inteiro apoio dos outros lideres de Baraúna e partidos, que faziam parte da coligação de Henrique, que de alguma forma e com seus motivos pessoais ou não aderiram a Robson Farias. Do mesmo modo que o vereador e o vice prefeito. Dentro desse ponto de vista, já que você não fala o nome dos merecidos e merecidas lideranças de Baraúna que deram essa vitoria ao governador Robson eu irei aqui dizer.

A primeira a levantar essa bandeira foi a vereadora Divanise que é do (PSD),e assim seguiram os outros vereadores Fátima do Juremal, o vereador Flavio Matias sua familia e amigos, Ruberlandio, Robertao, professor Valdecir dos Santos e a ex vice prefeita Célia Bezerra, o vice prefeito Edson Barbosa, Madalena e Marcos Fábio, o blogueiro Wilson Cabral, o advogado Fábio Moura, o ex vereador Junior Abreu, Daniel Pereira, ex prefeito Aldivon,  José Araújo, Isoares Martins, Ex vereador Nerivam Cláudio, Helena de Lair, Neusa, Zé Bezerra,entre tantos outros,  e uma grande parcela da população do município, que levantou essa bandeira. Então vereador presidente desce ai um pouco, o mérito não e só da sua coordenação pessoal, e desse povo todo e suas famílias, só achei injusto com as outras pessoas por isso estou citando o nome de todos os políticos e autoridades, vistas empenhada nessa campanha em prol de Robson Farias, o qual o interesse demonstrado por alguns em seus oratórios e passagens nas ruas  por essas pessoas, era simples derrubar e difamar a prefeita Luciana, pois todos pareciam que estavam fazendo campanha municipal, e para isso muitos deixaram de ser líder para ser liderados, com isso fizeram um acórdão para derruba Luciana com ódio e fúria, esse mérito e do acórdão de Baraúna, e não só seu presidente. Por isso desça um pouco desse mundo ilusionista e reconheça que teve uma multidão que levou Robson a essa vitoria.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Fátima Fortalecida para 2018 .


                     

Robinson Faria: venceu a parte mais fácil: ganhar de Henrique! Mas, caso vacile, terá uma Fátima com sede de poder, se candidatando ao governo de 2018. Pode se achar vitorioso hoje, quando na verdade poderá tá cavando a própria cova.

Michel Com Créditos Na Presidência....

Michel Temer ganha pontos com Dilma e deve ser responsável por parte das indicações do primeiro escalão

O vice-presidente Michel Temer ganhou pontos com a presidente durante a campanha e deve ser o responsável por parte das indicações do PMDB tais como o ex candidato derrotado Henrique Alves PMDB e Eunício para os futuros primeiro escalões.

Entre os aliados, o governador do Ceará, Cid Gomes (PROS), é cotado para um cargo de destaque no primeiro escalão. Ele pode ocupar o Ministério da Integração Nacional, para concluir a transposição do São Francisco, ou mesmo o Ministério da Educação. Mas para essa última pasta, há resistência de petistas, que preferem a permanência de José Henrique Paim.