domingo, 4 de dezembro de 2016

Vice prefeito e agora prefeito.

Vice prefeito e agora prefeito de Baraúna diz que vai tentar priorizar salários

Édson: nova passagem (Foto: arquivo)

O vice-prefeito de Baraúna, Édson Barbosa (PV), que assumiu interinamente a titularidade da municipalidade nessa sexta-feira (2), deverá reformular secretariado para fechar mês e gestão até 31 de dezembro.

Pois todos sabem como a prefeita Que estava no Comando Luciana Oliveira foi afastada. Ele retornou ao cargo de prefeito, em face do afastamento pela Justiça da prefeita Luciana Oliveira (PMDB), devido atos de corrupção – veja AQUI.

Ano passado (31 de dezembro), Barbosa já assumira a Prefeitura de Baraúna com licenciamento por supostos problemas de Saúde da prefeita Luciana, tomando decisões importantes. Sua presença de pouco mais de 30 dias oportunizou o cumprimento de várias obrigações, como pagamento salarial de servidores e cobertura de débitos com fornecedores.

A prioridade é pagar salários e fazer serviços básicos funcionarem. O cenário administrativo é de caos.

MATERIA DO Blog Carlos Santos pelo Twitter clicando AQUI

NOTA DO BLOG: FALTANDO MENOS DE UM MÊS PARA ELE SAIR DA PREFEITURA NAO FARA MUITA COISA ! A NAO SER PAGAR OS SALÁRIOS  QUE ESTÃO ARRASADOS.

Acumulada

Ninguém acerta as dezenas e Mega-Sena vai a R$ 6 milhões

  

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 1.882 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (3) em São Gabriel da Palha (ES). 
O prêmio acumulado tem agora uma estimativa de R$ 6 milhões para o próximo sorteio. 
Veja as dezenas sorteadas: 09 – 10 – 19 – 35 – 37 – 41. A quina teve 25 apostas ganhadoras e cada uma vai levar R$ 64.051,30. Outras 3054 apostas acertaram a quadra e vão ganhar R$ 749,03 cada uma. O próximo sorteio acontece na quarta-feira (7).

Juízes querem afastar Renan .

Juízes e entidades cobram afastamento de Renan da presidência do Senado

 

Entidades do Ministério Público, do Judiciário e da sociedade civil enviaram um apelo para que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, requeira o afastamento do senador Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Congresso, réu por peculato
Em carta encaminhada neste sábado (3), as organizações argumentam que Renan não pode permanecer na função por “pretender comandar produção legislativa em benefício próprio, visando a autoblindagem”. 
O documento menciona a manobra do peemedebista para votar em regime de urgência na quarta-feira (30) o projeto de lei que prevê punição a juízes e investigadores. E lembra a decisão do Supremo Tribunal Federal de afastar o deputado agora cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara, em maio.

Nova crise!!!!

Medo de Temer se perder na crise política e econômica

  

Cresce no setor privado o temor de que Michel Temer não dê conta da crise política e econômica. Mesmo entre figurões do mercado financeiro, reduto que rendeu maior entusiasmo ao presidente até aqui, diz-se que o “inferno astral” está em curso. Os cálculos embutem o risco de Temer perder ministros próximos para a Lava Jato. “Ou Temer vira um Itamar Franco, ou vira um Sarney, ou uma Dilma. FHC não tem mais chance de ser”, resume a análise de uma influente corretora. 

O mercado se divide sobre como o PSDB deve se comportar. Parte defende que a sigla entre de cabeça para tentar salvar o governo — há quem advogue por um tucano na Casa Civil caso o ministro Eliseu Padilha seja abatido pela Odebrecht.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Nao tem mais essa de não ter dinheiro ...

Terceiro repasse do FPM de novembro será inflado por recursos da repatriação; prefeitos não poderão "chorar miséria" junto a fornecedores
 
Passadas as eleições, eis uma constatação negativa: o aumento de reclamações oriundas de fornecedores quanto às repetitivas negligências de pagamento por parte de alguns prefeitos do Alto Oeste, especialmente aqueles que se reelegeram ou conseguiram fazer o sucessor. 

Na prática, segundo relatam os fornecedores, a enrolação funciona assim: como o gestores sabem que nenhum prestador de serviço vai correr o risco de se indispor com quem continuará com a "caneta na mão", dissimuladamente, eles aplicam o famoso "chá de cadeira". 

Além disso, quando a situação chega ao cúmulo do absurdo, alguns prefeitos aproveitam para "chorar miséria", alegam que ainda estão pagando contas de campanha (Caixa 2?) e outras enrolações verbais. 

Do outro lado da mesa, meio que reféns da situação, ficam os empresários que não tem outra saída que não seja a de esperarem pela boa vontade dos gestores velhacos. 

Mas, segundo informações da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), nesta quarta-feira (30), o terceiro repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) vem bastante gordo, graças aos recursos da repatriação. Inclusive, os valores repassados serão maiores que os distribuídos no mesmo período de 2015. 

Desta forma, tem-se que os prefeitos não poderão alegar falta de recursos em caixa para quitar os débitos de seus respectivos municípios, tampouco "murmurarem" junto a fornecedores bem informados que acessam este blog. 

É senhores, não tem jeito. Tirem as "onças" do bolso e paguem o povo! 

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Saúde no estado esta precária.

CRISE: APENAS DUAS DAS CINCO AMBULÂNCIAS DO SAMU MOSSORÓ ESTÃO FUNCIONANDO

 

 Das cinco ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que deveriam atender a toda população de Mossoró, somente duas delas estão funcionando de forma precária. A informação foi repassada pelo médico Everaldo Rodrigues,que está de plantão na unidade nesta quarta-feira, 16, a reportagem do DE FATO.COM. 
Segundo ele, apenas uma Bravo, que é de suporte básico, e uma Alfa, de suporte avançado estão atendendo aos chamados das diversas ocorrências no município. O número reduzido de veículos deixa de atender ocorrências.
“Nós estamos deixando de fazer atendimentos por causa do baixo número de ambulâncias. Hoje só estamos com duas, sendo uma Bravo e outra Alfa. Agora pela manhã houve três acidentes e só podemos ir atender um destes chamados. Ou seja, os outros dois não teve como a gente socorrer as vítimas. Lembrando ainda tem outros tipos de ocorrências, como infarto, que estamos deixando de fazer devido ao baixo número de ambulâncias”, disse Rodrigues que enfatiza a preocupação dos servidores da unidade para as constantes ameaças sofridas. 
“Por causa dessa situação nós deixamos de realizar vários atendimentos e a população, em muita das vezes, não compreende a nossa dificuldade e passar a fazer ameaças para a gente dizendo que vai nos matar se a pessoa que está necessitando do atendimento morrer. É uma situação preocupante que passamos”, frisou. Everaldo Rodrigues disse que a vida útil de uma ambulância é de dois anos, mas que tem veículo com mais de onze anos de uso o que acarreta um grande prejuízo para a população que necessita do serviço. 
“A maioria das ambulâncias estão sucateadas. Temos aqui veículos com mais de onze anos de uso. Uma ambulância tem vida útil de dois anos. Falta manutenção nos veículos usados. Duas ambulâncias é muito pouco para atender a cidade toda”, desabafou o médico. 
Outro ponto destacado por Everaldo Rodrigues é o atraso no salário dos médicos do Samu. Segundo ele, até esta data – 16 de novembro - , eles ainda não receberam o salário do mês de outubro. Para beber água eles estão fazendo cotas para comprar o líquido. 
“É muito complicado viver nessa situação. Estamos com os salários atrasados do mês de outubro e ainda não tivemos nenhuma resposta da Prefeitura de quando irá sair o pagamento. Aqui estamos fazendo cotinha para comprar água”, finalizou. 
À reportagem, a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde confirmou que apenas duas ambulâncias estão realizando os atendimentos e de que as duas que estão no conserto não tem previsão de retorno imediato. 
Disse também que foram substituídas duas ambulâncias nesse ano e mais duas foram pedidas, mas que até o momento elas não vieram para o município. 
A assessoria ainda salienta que o Município tem custeado os serviços do Samu juntamente com a União. Já a parte do Estado não está sendo cumprido. 

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

TJ analisa o empréstimo de R$ de 140 milhões para o RN.

Empréstimo de R$ 140 milhões ao Governo deve ser analisado pelo TJ nos próximos dias

  

O que muito tem se falado em "devolução" do Judiciário ao Governo do Estado, na verdade, é um empréstimo. 

A assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte explica que o empréstimo deverá seguir os mesmos critérios do valor liberado ao Fundo Penitenciário do Rio Grande do Norte (FUNPEN), para ampliação de sistema prisional do Estado, já aprovado na Assembleia Legislativa: seis meses de carência até o pagamento da primeira parcela ao TJ e 24 meses totais para quitar a dívida. 

Se o valor não for utilizado em dois anos, o Governo do Estado deverá fazer a devolução imediata do dinheiro ao Judiciário. 

Um anteprojeto sobre a transação deverá ser analisado pelo colegiado de desembargadores até a próxima semana. Se aprovado, será enviado à Assembleia Legislativa. 

Veja mais informações clicando aquiAMARN 
A Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte (AMARN) acionou, esta semana, o presidente do Tribunal de Justiça Cláudio Santos no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 

A ação é motivada pela proposta do presidente de devolver ao poder executivo R$ 100 milhões para investimentos em saúde e segurança. “Partimos para o Conselho Nacional de Justiça que é uma instância administrativa superior ao Tribunal para que decida sobre a legalidade dessa transparência”, explicou o juiz Cleofas Coelho, presidente da AMARN, em entrevista ao Bom Dia Brasil. 

Segundo Cleofas Coelho a decisão foi surpreendente. “Quando ele anunciou essa decisão surpreendeu a todos do judiciário”, declarou. 

Para o presidente da AMARN a economia propalada pelo presidente do TJRN é fruto de recursos não aplicados em investimentos necessários. “É muito mais falta de aplicação de recursos do judiciário do que economia” 

Ele ainda acusou a atual gestão do judiciário de falta de transparência. “Ninguém sabe da existência desses valores (R$ 500 milhões economizados nos últimos anos). Não há transparência” 

O juiz Cleofas Coelho ainda acusou Cláudio Santos de fazer populismo por interesses individuais. “Esse discurso populista nós enxergamos um interesse pessoal contra um interesse institucional”, concluiu. 

Tv justiça na mira dos deputados e senadores

ACREDITEM SE QUISER: Deputados agora querem ‘desligar’ a TV Justiça

Num instante em que algo como quatro dezenas de parlamentares respondem a inquérito no STF apenas no caso do petrolão, os deputados decidiram aprovar uma lei para desligar a TV Justiça da tomada. Querem impedir a transmissão das sessões plenárias da Suprema Corte nos julgamentos de processos penais e civis. A proposta já foi aprovada na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara. Seguiu para a Comissão de Constituição e Justiça. Se for aprovada novamente, seguirá direto para o Senado. 

O autor do projeto é Vicente Cândido (PT-SP), amigo dos petistas condenados no julgamento do mensalão, que popularizou, por assim dizer, a TV Justiça. O relator é Silas Câmara (PRB-AM). Sem meias-palavas, ele admite que quer apagar os refletores do plenário do Supremo para evitar os efeitos que as luzes provocam sobre as togas. Alega que as transmissões expõem “as entranhas da Justiça”, mostrando o que chamou de “sensacionalismo exacerbado” de alguns ministros. Para o relator, a superexposição ofende “a imagem, a honra e a dignidade da pessoa humana.” 
Onde se lê “pessoa humana”, leia-se “réu”. Silas Câmara desqualifica em seu parecer os defensoeres da tese segundo a qual o interesse público se sobrepõe ao direito à privacidade que os réus poderiam, eventualmente, reivindicar: “Ocorre que esses militantes da mídia livre se esquecem que a garantia de um julgamento isento e imparcial é um direito humano, que se sobrepõe ao direito de informação, ou seja, o interesse público não pode ser maior do que o direito a um julgamento isento.” 
Tomado pelos termos do relatório, os deputados parecem dar de barato que o calor dos holofotes derrete a isenção dos ministros do Supremo. Pior: avaliam que o processo de derretimento começa antes do julgamento: 
“O cidadão vem sendo condenado a priori e de maneira covarde pela superexposição na mídia, exposição esta que influencia, também, diretamente no resultado do julgamento per se, ao criar o que podemos chamar, ironicamente, de ‘afã condenatório’ por parte de membros do Poder Judiciário que tenham dificuldade em conter eventuais ‘arroubos’ de vaidade, provocados pela súbita notoriedade conferida pela mídia”. 
Ironicamente, a proposta anti-transparência vem à luz num instante em que os processos da Lava Jato são julgados na Segunda Turma do Supremo, sem a transmissão da TV Justiça. Apenas processos que envolvem os presidentes da Câmara e do Senado precisam ser obrigatoriamente submetidos ao plenário do tribunal. 
Hoje, a exposição tem sido maior na jurisdição de Sergio Moro, em Curitiba. Ali, não há transmissões ao vivo. Mas o juiz da Lava Jato cultiva o hábito de filmar seus interrogatórios, divulgando-os na sequência. Disponíveis na internet, os vídeos revelam que os cofres do Estado vêm sendo assaltados com método pela quadrilha de oligarcas empresariais e políticos. Quem assiste percebe que o melhor detergente contra esse tipo de sujeira é mesmo a luz do Sol. 

Pressão dos prefeitos.

Prefeitos do Nordeste declaram apoio a trabalho de pressão no Congresso Nacional

Gestores manifestaram apoio a medidas que podem transformar a realidade municipal 
 
Calorosa, a plateia de prefeitos eleitos da região Nordeste surpreendeu a apresentação do presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski. Diversas vezes, os gestores manifestaram apoio a medidas que podem transformar a realidade municipal e promover melhor qualidade de vida da população brasileira. Dentre as estratégias, pressionar os parlamentares para que votem projetos da pauta de reivindicação prioritária, principalmente nesses próximos dois anos, é a principal delas. 

Durante palestra aos participantes no Seminário Novos Gestores 2017-2020, o líder municipalista informou que há diversas pautas em tramitação no Congresso Nacional, mas que, para serem aprovadas, é necessário um forte trabalho de pressão junto aos deputados e senadores. Dentre os projetos, ele mencionou o encontro de contas das dívidas previdenciárias dos Municípios e da União, a prorrogação do prazo para eliminação dos lixões e instituição dos aterros sanitários, a partilha dos recursos da multa para repatriação com os Municípios, a mudança no critério de reajuste do piso salarial do magistério e a equalização dos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). 

Além de ter explicado qual o impacto das matérias individualmente, Ziulkoski alertou para falta de comprometimento dos parlamentares com propostas de interesse dos Munícipios, inclusive em relação a projetos que estão parados, dependendo apenas da deliberação do Plenário. Uma das principais pautas nessa situação, destacada pelo líder municipalista, é a mudança na cobrança do Imposto Sobre Serviços (ISS). A proposta prevê que o recolhimento do imposto, nas compras com cartão de crédito e débito, ocorra no Município em que realmente houve a aquisição dos bens ou serviços. A mesma medida deve ser adotada para os financiamentos na modalidade de leasing. 

“Se nós tivéssemos um deputado igual ao maranhense Hildo Rocha por Estado, nós mudaríamos tudo aqui em Brasília”, desabafou o presidente ao ressaltar os avanços conquistados por meio do compromisso do deputado municipalista. Hildo Rocha é do PMDB e tem trabalhado pela aprovação do texto do ISS. “Será que nós não vamos ter coragem de mudar esse Brasil? Será que vamos continuar de cabeça baixa, reclamando, ou nós vamos tomar atitude política?”, perguntou Ziulkoski ao plenário

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Superlua

Maior superlua em quase 70 anos ocorre nesta segunda-feira
    
Se você gostou e tirou várias fotos da superlua que ocorreu no último mês de outubro, prepare seu coração: a desta segunda-feira (14) será ainda maior. O fenômeno que estará na janela da sua casa (se não houver nuvens, claro) será o maior dos últimos 68 anos.

Isso porque no auge do perigeu (momento em que a Lua fica mais próxima da Terra) o nosso satélite natural estará a apenas 356.511 km da Terra, segundo o astrônomo Gustavo Rojas, da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos). A última vez que ele ficou mais perto do que isso foi em 1948, quando a distância do perigeu foi de 356.462 km.

A superlua, contudo, não será no momento do perigeu, que ocorrerá às 9h21 (horário de Brasília). O fenômeno por definição ocorre no momento da lua cheia, que será às 11h54 – nesta hora, o satélite estará a 363.338 km da Terra.

Para efeito de comparação, a superlua do último mês de outubro ocorreu com o satélite a uma distância de 364.687 km da Terra. A distância média do corpo celeste para nosso planeta é de 384.402 km.

Ficou triste pelos horários citados serem na manhã brasileira? Calma. Rojas diz que ainda assim o evento pode ser melhor aproveitado na noite de segunda-feira.

A próxima vez que a Lua chegará mais próxima da Terra será só no longínquo ano de 2034, quando no momento da superlua (encontro com a lua cheia) estará a 363.301 km de distância.

Este fim de ano ainda reserva mais uma superlua para os amantes do céu. A superlua de dezembro encerrará a sequência de três seguidas.